IVA – Quem paga e como se calcula

IVA – Quem paga e como se calcula
O IVA, Imposto de Valor Acrescentado, é um imposto indirecto e é aplicado ao consumo efectuado. São os consumidores finais que pagam o IVA, quando vamos ao cinema, quando compramos um automóvel, um telefone, um computador, uma TV, etc.

Atualmente o IVA é a maior fonte de receita do estado português.

Nós consumidores finais pagamos o IVA às empresas que nos fornecem bens ou serviços. Posteriormente as empresas devolvem o IVA, pago pelos consumidores, ao estado.
Para as empresas, o IVA não pode ser considerado um custo, uma vez que o podem recuperar através de deduções previstas no Código do IVA.
O IVA que as empresas recebem dos clientes é chamado de IVA liquidado, o IVA que pagam aos fornecedores é chamado de IVA Dedutível ou suportado.
As empresas só podem deduzir o IVA de qualquer compra ou despesa que esteja directamente relacionado com a sua actividade.

Exemplo:
Uma frutaria, se comprar maças aos fornecedores pode deduzir o IVA dessa compra porque vai vender as maças. Já um escritório de contabilidade, se comprar maças para os seus funcionários já não pode deduzir o IVA dessa compra, porque a actividade não está relacionada com essa compra. Neste caso o IVA para a empresa é suportado.

Como se calcula o IVA?
O cálculo é feito mensalmente ou trimestralmente pelo contabilista certificado.
A fórmula matemática é: IVA a Pagar = IVA Liquidado – IVA deduzido
 
Exemplo:
Uma empresa vendeu uma impressora por 1000€ + IVA (23%)=1230€. A empresa no mesmo período comprou um computador (necessário à sua atividade) por 500€ + IVA (23%)=615€.
O IVA a devolver ao estado é de 115€, porque 230€ (IVA Liquidado) – 115€ (IVA Dedutível) = 115€ (IVA a Pagar).

últimos artigos

24.12.2020

Boas Festas


22.12.2020

Publicado pagamento de IVA em prestações em 2021

Foi, recentemente, publicado um Decreto-Lei (103-A/2020) que estabelece a possibilidade de pagamento...

21.12.2020

Novo Despacho: Devolução do PEC e limitação dos pagamentos por conta

O Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais emitiu um novo Despacho (SEAAF 510/2020.XXII) que esclar...